Diário de Bordo

Sobre ciclos

Por on 27 de novembro de 2016

Maio de 2010. O telefone tocou para saber se o passaporte estava em dia. Dez dias depois fui parar em Johanesburgo: Copa do Mundo. Três meses mais tarde me mandaram pro Mato Grosso do Sul para entrevistar o Pelé dentro de uma van (Não preguei os olhos na véspera). No mês seguinte estava no Qatar para cobrir o primeiro encontro de Neymar com Messi. Ainda tinha compromissos com a ESPN e com a RACE e tinha que fazer mágica para não deixar passar essas oportunidades. O pontual virou rotina e me despedi da emissora e da agência. Passei um mês no Peru cobrindo o título Sul Americano Sub-20 de Neymar, Lucas e companhia. O futebol brasileiro se classificava para as Olimpíadas de Londres.

Começava uma turnê seguindo a Seleção treinada por Mano Menezes com amistosos na Inglaterra, Alemanha, México, Costa Rica e Qatar, além da Copa América da Argentina em 2011. Em 2012 me chamaram no meio das férias para uma hora de entrevista exclusiva cara a cara com o Rei Pelé. De novo fui correndo! Inesquecível!

Me mudei para o Rio de Janeiro da noite para o dia. Veio a sonhada Londres 2012 e e viagens para Suíça, Alemanha, EUA, Suécia, Polônia e Argentina.

Nasceram novos desafios e responsabilidades enquanto o jogo seguia! Veio o Felipão com a Copa das Confederações e uma cobertura inédita que abriu caminho para outros trabalhos. Ainda em 2013 teve mais Inglaterra e Suíça. Teve Bolívia, EUA, Coreia do Sul, China e Canadá.

2014 começou na África do Sul e a tão esperada Copa do Mundo no Brasil já batia na porta. Depois do 7×1 começou um novo ciclo. Veio o Dunga outra vez. Teve Espanha, EUA, China, Singapura, Turquia e Áustria. Vinha mais uma Copa América, mas antes fomos à França e Inglaterra para os últimos amistosos preparatórios para a competição no Chile. Depois começaram as Eliminatórias para a Copa da Rússia. Inúmeras idas aos EUA em um novo projeto me fizeram até pensar em morar por lá. Mas as viagens de 2015 foram acompanhadas de sinais que eu insistia em ignorar. Saí de férias com a esperança de que eles fossem embora…Mas não foram.

Aceitar que um ciclo chegou ao fim e entender que um novo movimento se faz necessário é uma perspectiva difícil de enxergar. Olhar para essa direção exige muita coragem, ainda mais quando se trata de um ciclo maravilhoso que te gerou incontáveis experiências inesquecíveis e objetivos alcançados. Entender que é hora de recomeçar chegou a me dar medo, já que estava em um lugar incrível com coisas que sempre sonhei, mas o que me assustou de verdade foi me acomodar. A vida é uma roda e ficar parado não é opção. No meu caso eu não parava, mas passei a andar em loop e pra mim dava na mesma. Sentar na zona de conforto, sem evoluir, sem me sentir desafiado foi mais do que suficiente para eu agir. E com muita consciência, depois de bastante reflexão, choro e coração apertado, chegou a hora! Chame como quiser, mas para mim uma nova vida está para começar.

 

TAGS

28 de novembro de 2016

POSTS RELACIONADOS
03D93485-89EC-40DD-9319-7D368E58989B
2018, que ano!

5 de janeiro de 2019

47D65D89-C8F0-4183-8BF0-101F5FD301B3
E a Europa ficou para trás

5 de janeiro de 2019

10B4C9EF-40CC-4C8F-9583-F4597793A179
Dois anos na estrada

5 de janeiro de 2019

82455E5B-2AC6-4A09-A606-3BA62A2D571A
“The lighter”

5 de janeiro de 2019

21BCE185-222B-47C7-AB2F-DFD8D67CA179
Finding joy everywhere

5 de janeiro de 2019

1E656438-6FEB-46FD-968D-50459C58B30C
Cold weather warm hearts

6 de dezembro de 2018

467B4B48-60B4-46FC-A4A7-903635DEE708
Um adeus na estrada

5 de dezembro de 2018

30E464FD-7411-433E-B876-0FC636E53CC8
About big cities

5 de novembro de 2018

F47FACB2-9C98-4A0C-A0F0-AA5DFEFE70E6
Noruega e os sonhos por trás da Aurora Boreal

1 de novembro de 2018

ADORAMOS COMENTÁRIOS, DEIXE O SEU!

Isra
Santos - SP

Jornalista, Israel Coifman é paulista de Santos e tem 35 anos. A paixão pelo esporte levou-o à profissão e o trabalho lhe apresentou o mundo. Passou por empresas como MTV, ESPN e Mowa Sports e por seis anos rodou o planeta cobrindo a seleção brasileira de futebol. Começou como freelancer e foi editor, repórter, produtor, videomaker, diretor de fotografia e deixou a função de head de video da agência Mowa Sports para ir atrás de um sonho genuinamente seu: viajar o mundo de bicicleta.

Últimos Posts
Like us on Facebook
Publicidade