Diário de Bordo Vídeos

Caminhos do coração

Por on 24 de maio de 2017

Quantos belos caminhos se abrem quando escolhemos seguir o coração? Quem sai pra viajar de bicicleta não quer pegar carona, é oficial. Mas quem viaja com o coração está se permitindo a viver experiências muito mais intensas que qualquer travessia. Era véspera do meu aniversário, o meu primeiro na estrada e eu tinha um plano: percorrer mais um dia de deserto, com lindas paisagens, preparar um modesto e delicioso jantar e acampar com as estrelas. Nada mal né? 60km depois cheguei a uma bifurcação: ou mantinha o plano ou saía da ruta 5 para ir a uma cidade chamada Taltal. Escolhi o caminho do coração.

O deserto é lindo e hostil, é quente e frio e principalmente… deserto. Já em uma rota desconhecida, 30km depois, encontrei o mar e uma cidade charmosa. Parei na praça e a Olívia veio até mim. “Você chegou! Passamos por você na estrada”. Logo depois veio o Álvaro com a Perica. Os recém casados e sua linda cachorrinha saíram de Buenos Aires rumo a Califórnia em uma Kombi.

A minha experiência na Argentina foi tão boa, que quando encontro hermanos pelo caminho é como encontrar um bom amigo. Em poucos minutos de conversa estávamos tão entrosados que naturalmente decidimos encontrar um lugar para acamparmos juntos. Disse que dentro de algumas horas eu ficaria mais velho e acabei tendo uma noite bem diferente da que eu imaginava. Cozinhamos um tradicional macarrão de viajante, abrimos um vinho, conversarmos muito e fotografamos as estrelas. Eles esperaram o relógio marcar meia noite para me darem um abraço. Armei minha barraca, eles transformaram a sala de jantar da Kombi em cama e dormimos com o som das ondas do mar, que quebravam atrás das rochas de onde estávamos.

Sem me dar conta, passei 10 dias com eles, com a bicicleta dentro da Kombi. E vivemos esses dias como grandes amigos, fazendo piadas, escutando boa música, conversando sobre os mais variados assuntos, acampando, cozinhando, comendo as nossas “galletitas” e sempre tomando um vinho no fim do dia. Vivemos também um drama com o desaparecimento da Perica, que se perdeu no deserto e só foi encontrada dois dias depois bem fraca e assustada. Por um lado eu queria estar pedalando,  por outro estava muito feliz vivendo uma viagem diferente. Deixei o coração falar de novo.

O Deserto do Atacama sempre foi um dos meus principais desejos na América do Sul e definitivamente eu sempre quis atravessa-lo inteiro pedalando. Mas precisei me confrontar e deixar o orgulho de lado. Senti que seria uma tremenda vaidade e um egoísmo sem sentido abandonar pessoas que me conquistaram em nome de um desafio. Já pedalei 5000 quilômetros desde que deixei o Brasil. Prefiro colecionar experiências a números.

Já passei pelo período de testes e provações. Há muitos quilômetros ainda a serem percorridos por esse mundão e nada, nada substitui o sorriso, o abraço e a amizade. Viajar é sorrir por dentro, é sorrir por fora. É estar aberto a mudar de planos para seguir sorrindo, seja sozinho ou em boa companhia. Seja a pé, pedalando ou dentro de uma Kombi anos 80.

O vídeo é apenas uma pequena lembrança de inesquecíveis dias no deserto da Atacama. Alvaro, Olívia e Perica viraram mais que amigos de estrada. Sem diminuir qualquer experiência anterior, o encontro com eles foi melhor presente que a estrada me deu até agora. Já sinto saudades, mas também sinto que voltaremos a nos encontrar por aí, de um jeito ou de outro!

Gracias mis amigos, mis hermanos! Los extraño y los quiero mucho! Espero verlos pronto! Que disfruten la ruta y sigan contagiando a todos con esa buena onda y buena vibra! Desde 1 de mayo, ustedes viven en mi corazón! Cuídense!

TAGS

26 de maio de 2017

POSTS RELACIONADOS
2 Comentários
  1. Responder

    Patricia

    25 de maio de 2017

    Fantástico!! Estou acompanhando sua viagem desde o início pelo Extremos, com certeza mais uma grande inspiração pra mim. E que venham muito mais experiências incríveis como essa na sua longa jornada!
    Caso mude o roteiro e resolva dar uma passada pela Suiça, em Genebra você tem onde ficar.
    Sucesso Israel!

    • Responder

      Israel Coifman

      26 de maio de 2017

      Olá Patrícia! Muito obrigado pela sua mensagem e também te agradeço por viajar comigo nessa aventura! É um grande incentivo para mim receber carinho como o teu. Inicialmente não planejei ir para a Suíça, mas hoje penso que gostaria de ir sim! Se for pra aí te aviso!

      Obrigado!!

ADORAMOS COMENTÁRIOS, DEIXE O SEU!

Isra 🇧🇷
Santos - SP

Jornalista, Israel Coifman é paulista de Santos e tem 34 anos. A paixão pelo esporte levou-o à profissão e o trabalho lhe apresentou o mundo. Passou por empresas como MTV, ESPN e Mowa Sports e por seis anos rodou o planeta cobrindo a seleção brasileira de futebol. Começou como freelancer e foi editor, repórter, produtor, videomaker, diretor de fotografia e deixou a função de head de video da agência Mowa Sports para ir atrás de um sonho genuinamente seu: viajar o mundo de bicicleta.

Like us on Facebook
Publicidade